ALBÂNIA onde há perseverança há esperança...

Para os Mulçumanos que buscam...

Para os Mulsumanos que buscam... IsaalMasih.net

28 de ago de 2010

'Tive medo de ser torturado', diz brasileiro detido no Cairo

  Pensou se a policia brasileira fizesse o mesmo com os Egipicios que carregam seus alcorões. Pensou se fosse a policia brasileira que prendesse um muçulmano apenas por portar um alcorão.
E ainda dizem os egipicios, que são tolerantes com as religiões. (segundo entrevista do embaixador egipicio em Brasília). O interessante é que eles como sempre dizem uma coisa e agem de outra forma totalmente diferente ao que eles escrevem etc e tal...
Tolerantes eles são ao virem pro nosso Brasil e proclamarem sem nenhuma restrição no que eles creem...
Viva a liberdade egipicia...

27/08/2010 10h00 - Atualizado em 27/08/2010 15h37

'Tive medo de ser torturado', diz brasileiro detido no Cairo

Guia de turismo comia uma vez por dia.
Material religioso que brasileiro portava estava em árabe.

Do G1, em São Paulo
Guia turístico encontra amigos ao chegar a Cumbica Guia de turismo encontra amigos ao desembarcar em
São Paulo (Foto: JB Neto/Agência Estado)
Ao desembarcar no Aeroporto Internacional de Guarulhos, em Cumbica, na região metropolitana de São Paulo, na madrugada desta sexta-feira (27), o guia de turismo brasileiro detido no Cairo, capital do Egito, disse que teve medo de ser torturado. Ele foi deportado para o Brasil na quinta-feira (26). Dagnaldo Pinheiro Gomes foi detido depois de ser acusado de promover atividades religiosas.
"Tive medo de sair dali e ir para um lugar de tortura. Estava com prisioneiros que já tinham sido torturados. Eles sempre falavam: você pode ser torturado se a sua embaixada não lhe encontrar rápido", afirmou Dagnaldo.
Ele disse que comia uma vez por dia, mas negou ter sido vítima de maus tratos. "Tinha direito a um pouco de comida uma vez por dia. Às vezes pedia água e eles não me davam, mas isso eu até entendo porque esse é o mês de jejum deles", declarou referindo-se ao Ramadã.
Dagnaldo afirmou ainda que o material religioso que foi encontrado no seu carro estava em árabe. Porém, ele negou que fazia promoção de sua religião, o que é proibido no Egito. "No meu carro tinha um material cristão. Essa foi a acusação [para me prender]. É um material que qualquer cristão pode ter", disse o guia, que morou por mais de sete anos no país. Ele foi informado por autoridades locais de que ele não pode voltar ao Egito.
Na terça-feira (24), o Itamaraty informou que o brasileiro havia sido  detido com outras duas brasileiras, que já foram liberadas.
A namorada de Dagnaldo, que vive no Maranhão, disse ao Jornal Hoje que ele ia visitar as pirâmides e foi detido por policiais que encontraram as bíblias e folhetos evangélicos no carro em que ele viajava.

Nenhum comentário: