ALBÂNIA onde há perseverança há esperança...

Para os Mulçumanos que buscam...

Para os Mulsumanos que buscam... IsaalMasih.net

30 de mar de 2010

PROVAS HISTÓRICAS E PROFÉTICAS SOBRE A DIVINDADE DE JESUS

Profecias  Messiânicas


A Vinda do Senhor Jesus Cristo - o Messias - como salvador da humanidade, bem como sua obra e sofrimento foram profetizados muitos séculos antes do Seu nascimento.  Deus usou homens santos para predizerem detalhadamente como seria o Messias, sua vinda e manifestação do Reino dos céus. Como sabemos, o Messias foi rejeitado e morto pelos judeus. Ressuscitado, está ao lado do Pai e em breve retornará para conduzir os eleitos à morada eterna.
A seguir, conheça as profecias e os livros onde estão narradas, bem como, o seu cumprimento  descritos no Novo Testamento.

Profecia:
Onde:

Cumprimento:
 
Como Filho de Deus
Sl 2.7
Lc 1.32,35
Como descendente de mulher
Gn 3.15
Gl 4.4
Como descendente de Abraão
Gn 17.7; 22.18
Gl 3.16
Como descendente de Isaque
Gn 21.12
Hb 11.17-19
Como descendente de Davi
Sl 132.11; Jr 23.5
At 13.23; Rm 1.3
Sua vinda em tempo certo
Gn 49.10; Dn 9.23,25
Lc 2.1
Seu nascer de uma virgem
Is 7.14
Mt 1.18; Lc 2.7
Ser chamado Emanuel
Is 7.14
Mt 1.22,23
Nascer em Belém
Mq 5.2
Mt 2.1; Lc 2.4-6
Grandes viriam adorá-lo
Sl 72.10
Mt 2.1-11
Matança dos meninos de Belém
Jr 31.15
Lc 2.16-18
Ter chamado do Egito
Os 11.1
Mt 2.15
Ser precedido por João
Is 40.3; Ml 3.1
Mt 3.1-3; Lc 1.17
Sua unção com o Espírito
Sl 45.7; Is 11.2, 61.1
Mt 3.16; Jo 3.34;
At 10.38
Ser profeta semelhante a Moisés
Dt 18.15-18
At 3.20-22
Ser sacerdote segundo a ordem de Melquisedeque
Sl 110.4
Hb 5.5,6
Sua entrada no ministério publico
Is 61.1,2
Lc 4.16-21, 43
Se ministério iniciado na galiléia
Is 9.1,2
Mt 4.12-16, 23
Sua entrada publica em Jerusalém
Zc 9.9
Mt 21.1-5
Sua vinda ao templo
Ag 2.7,9; Ml 3.1
Mt 21.12; Lc 2.27-32;
Jo 2.13-16
Sua pobreza
Is 53.2
Mc 6.3; Lc 9.58
Sua humildade e falta de ostentação
Is 42.2
Mt 12.15,16,19
Sua ternura e compaixão
Is 40.11; 42.3
Mt 12.15, 20; Hb 4.15
Sua ausência de engano
Is 53.9
1Pe 2.22
Seu zelo
Sl 69.9
Jo 2.17
Sua pregação por parábola
Sl 78.2
Mt 13.34,35
Seus milagres
Is 35.5,6
Mt 11.4-6; Jo 11.47
Ter sido injuriado
Sl 22.6; 69.7,9,20
Rm 15.3
Ter sido rejeitado por seus irmãos
Sl 69.8; Is 63.3
Jo 1.11; 7.3
Ser uma pedra de escândalo aos judeus
Is 8.14
Rm 9.32; 1Pe 2.8
Ter sido odiado pelos judeus
Sl 69.4; Is 49.7
Jo 15.24,25
Ter sido rejeitado pelos lideres judeus
Sl 118.22
Mt 21.42; Jo 7.48
Os judeus e os gentios, contra Ele
Sl 2.1,2
Lc 23.12; At 4.27
Seria traído por um amigo
Sl 41.9; 55.12-14
Jo 13.18-21
Seus discípulos O abandonariam
Zc 13.7
Mt 26.31-56
Seria vendido por trinta moedas
Zc 11.12
Mt 26.15
Seu preço seria dado pelo campo do oleiro
Zc 11.13
Mt 27.7
A intensidade de seus sofrimentos
Sl 22.14,15
Lc 22.42,44
Seu sofrimento em lugar de outros
Is 53.4-6,12
Mt 20.28
Sua paciência e silencio sob os sofrimentos
Is 53.7
Mt 26.63; 27 12-14
Ser esbofeteado
Mq 5.1
Mt 27.30
Sua aparência maltratada
Is 52.14; 53.3
Jo 19.5
Terem-No cuspido e flagelado
Is 50.6
Mt 14.65; Jo 19.1
Cravação de seus pés e mãos à cruz
Sl 22.16
Jo 19.18; 20.25
Ter sido esquecido por Deus
Sl 22.1
Mt 27.46
Ter sido zombado
Sl 22.7,8
Mt 27.39-44
Mel e vinagre ser-Lhe-iam dados
Sl 69.21
Mt 27.34
Suas vestes seriam divididas e sortes lançadas
Sl 22.18
Mt 27.35
Seria contado com os transgressores
Is 53.12
Mc 15.28
Sua intercessão pelos Seus assassinos
Is 53.12
Lc 23.34
Sua morte
Is 53.12
Mt 27.50
Nenhum dos Seus ossos seria quebrado
Ex 12.46; Sl 34.20
Jo 19.33,36
Seria traspassado
Zc 12.10
Jo 19.34,37
Seria sepultado com o rico
Is 53.9
Mt 27.57-60
Não veria a corrupção
Sl 16.10
At 2.31
Sua ressurreição
Sl 16.10; Is 26.19
Lc 2.6,31,34
Sua ascensão
Sl 68.18
Lc 24.51; At 1.9
Seu assentar à direita de Deus
Sl 110.1
Hb 1.3
Seu exercer o oficio sacerdotal, no céu
Zc 6.13
Rm 8.34
Seria a pedra principal da igreja
Is 28.16
1Pe 2.6,7
Seria Rei em Sião
Sl 2.6
Lc 1.32; Jo 18.33-37
Conversão dos gentios a Ele
Is 11.10; 42.1
Mt 1.17-21; Jo 10.16;
At 10.45-47
Seu governo reto
Sl 45.6,7
Jo 5.30; Ap 19.11
Seu domínio universal
Sl 72.8; Dn 7.14
Fp 2.9-11
A perpetuidade de Seu reino
Is 9.7; Dn 7.14
Lc 1.32,33

29 de mar de 2010

2 perguntas...

PIB EM ITAPARICA  REALIZA MUTIRÃO MISSIONÁRIO NO ES
?? com duas interrogações as camisas foram estampadas. Com folhetos nas mãos e a mensagem de Cristo nos corações e na língua, dezenas de irmãos se juntaram para pregar a palavra de Deus na cidade de Vila Velha/ES. A primeira igreja batista em Itaparica, liderada pelo Pr. Ismael Anderson preparou-se para um projeto de evangelização no dia 20 de março (sábado) que impactou o bairro com centenas de conversões a Jesus. O ensejo foi dado conforme a necessidade de cumprimento do Ide e também do mês de missões mundiais realizado pela JMM (junta de Missões mundiais da convenção batista brasileira)
Parte da equipe reunida em frente ao templo da PIB em Itaparica

As interrogações nas camisas, eram uma espécie de estratégia onde duas perguntas eram feitas aos abordados: 1) Como você está? 2) onde você passará a eternidade? As respostas eram as mais variadas, duvidosas e confusas como que se fazendo cumprir o texto de Romanos 8:19 -  Porque a ardente expectação da criatura espera a manifestação dos filhos de Deus.
O preparo ocorreu já no inicio do mês, com encontros entre esses missionários, que receberam capacitação sobre a palavra de Deus, versículos chave para evangelismo, técnicas de abordagem e intercessão.
 
Grupo reunido no templo em oração antes do impacto nas ruas
O mutirão missionário se desenvolveu nas casas,  praças, ruas, avenidas, estabelecimentos comerciais e ate mesmo na praia de Itaparica.  Os frutos foram vistos  bem de perto. Foi uma experiência muito marcante para todos. “percebi que existem muitas pessoas afastadas e sem Deus”declarou Gabriela de 12 anos que trabalhou no projeto evangelístico. “temos que fazer mais vezes esse projeto. Tem muita gente morrendo sem Jesus” ressaltou Mateus de 16 anos.
Foram distribuídos bíblias, novos-testamentos, folhetos evangelísticos e agendas evangelísticas da Igreja. O envolvimento foi muito expressivo contando com vários membros incluindo lideres, seminaristas, pastores, professores de EBD, crianças, adultos e idosos. O sol não foi empecilho, nem as distancias percorridas entre as ruas. O povo se envolveu, trabalhou e participou ativamente do projeto que tinha como objetivo central proclamar o amor de Deus e a salvação em Jesus Cristo.
Evangelismo na praia de Itaparica – Vila Velha/ES
A idéia é repetir este feito mais uma vez este ano, especificamente no mês de setembro onde em mais um mês missionário a denominação batista se envolverá em missões nacionais. A PiB em Itaparica entendeu o ide deixado por Jesus, deixando o marasmo e indo além fronteiras proclamando a palavra de Deus cumprindo assim o Ide de Jesus.
(Mateus 28:19) - Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações,
FONTE: MINISTÉRIO DE COMUNICAÇÃO DA PIB EM ITAPARICA
CONTATO: 27-3349-0828    www.pibitaparica.com.br

27 de mar de 2010

 Idosa de 113 anos gasta dinheiro da ajuda social com café e tabaco

Mais velha que seu próprio país, Tane Koleci, de 113 anos, nasceu no norte da Albânia - país que declarou indepedência em 1912 - e gasta os 20 euros que recebe de ajuda social com café e tabaco.
Tane, que está quase surda e tem problemas de visão, toma quatro xícaras de café depois que acorda e mais quatro durante o dia, além de fumar 10 cachimbos por dia, o que equivale a 1kg de tabaco por mês e custa quase 20 euros, valor da ajuda social.
O quarto de Tane não possui calefação ou luz elétrica e possui somente uma cama, onde a idosa passa grande parte do dia, levantando-se apenas para tomar um pouco de sol.
Tane começou a fumar escondido ainda na infância, quando ficou orfã, e foi trabalhar em uma fazenda onde areava a terra e cuidava do gado. Casou aos 26 anos e nunca teve filhos. Hoje ela vive com o primo Mexhid Koleci e sua mulher.
Segundo Mexhid, Tane sempre teve uma boa alimentação, nunca ingeriu álcool e raramente adoece. Passa grande parte do dia deitada na cama, levantando-se apenas para tomar um pouco de sol.

26 de mar de 2010

30 dollares... o valor de uma alma sedenta... de fome...


Sei que esta noticia não é muito antiga, mas bem atual...
Aqui na ALBÂNIA, algumas sociedades islâmicas tem ganho milhares de crianças para seus rebanhos...
Como...
Reunindo as crianças que são orfãns de pai ou mãe e pagando para cada uma delas a quantia de 30 dollares a cada mês para cada uma delas, desde que elas frequente sua "sociedades ou fundações", para aprenderem o árabe e o corão (alcorão).
No local onde estamos plantando a nossa amada igreja a pobreza é extrema em algumas regiões... Alguns só comem um pão por dia, e nem mesmo água potável temos etc , etc, ...
Aproveitando se dessa fator de pobreza, eles investem milhões de dollares todos os meses para "educarem" essas crianças necessitadas.
As vezes me pergunto o que devemos fazer... e logo me vem a resposta pela palavra de Deus a bíblia sagrada. ORAR, sempre Orar. bater, pedir, procurar ao Senhor da seara para que lhes mostre a verdade através do Espírito Santo de DEUS...
Oremos para que o véu que esta encobrindo estas família, caiam por terra e o SENHORIO do nosso mestre JESUS venha ser revelado a cada um deles....
Não se esqueça..
ORA SEM PARAR...

17 de mar de 2010

Abençoados os que possuem amigos

BONS AMIGOS

Abençoados os que possuem amigos, os que os têm sem pedir.
Porque amigo não se pede, não se compra, nem se vende.
Amigo a gente sente!

Benditos os que sofrem por amigos, os que falam com o olhar.
Porque amigo não se cala, não questiona, nem se rende.
Amigo a gente entende!

Benditos os que guardam amigos, os que entregam o ombro pra chorar.
Porque amigo sofre e chora.
Amigo não tem hora pra consolar!

Benditos sejam os amigos que acreditam na tua verdade ou te apontam a realidade.
Porque amigo é a direção.
Amigo é a base quando falta o chão!

Benditos sejam todos os amigos de raízes, verdadeiros.
Porque amigos são herdeiros da real sagacidade.
Ter amigos é a melhor cumplicidade!

Há pessoas que choram por saber que as rosas têm espinho,
Há outras que sorriem por saber que os espinhos têm rosas!
Machado de Assis
Jesus quer o seu coração.

14 de mar de 2010

A Perda da Arte de Discernimento Evangélico

A Cabana - A Perda da Arte de Discernimento Evangélico


Albert Mohler Jr.



Dr. Albert Mohler é o presidente do Southern Baptist Theological Seminary, pertencente à Convenção Batista do Sul dos Estados Unidos; é pastor, professor, teólogo, autor e conferencista internacional, reconhecido pela revista Times como um dos principais líderes entre o povo evangélico norte-americano. É casado com Mary e tem dois filhos, Katie e Christopher.

       O mundo editorial vê poucos livros atingirem o status de "sucesso". No entanto, o livro A Cabana, escrito por William Paul Yong, superou esse status. O livro, publicado originalmente pelo próprio autor e dois amigos, já vendeu mais de dez milhões de cópias e já foi traduzido para mais de trinta idiomas. É, agora, um dos livros mais vendidos de todos os tempos, e seus leitores estão entusiasmados.
       De acordo com Young, o livro foi escrito originalmente para seus próprios filhos. Em essência, ele pode ser descrito como uma teodicéia em forma de narrativa – uma tentativa de responder à questão do mal e do caráter de Deus por meio de uma história. Nessa história, o personagem principal está entristecido por causa do rapto e do assassinato brutal de sua filha de sete anos, quando recebe aquilo que se torna uma intimação de Deus para encontrá-lo na mesma cabana em que a menina foi morta.
       Na cabana, "Mack" se encontra com a Trindade divina, onde Deus, o Pai, é representado como "Papai", uma mulher afro-americana, e Jesus, por um carpinteiro judeu, e "Sarayu", uma mulher asiática, é identificada como o Espírito Santo. O livro é, principalmente, uma série de diálogos entre Mack, Papai, Jesus e Sarayu. As conversas revelam que Deus é bem diferente do Deus da Bíblia. "Papai" é absolutamente alguém que não faz julgamentos e parece determinado a afirmar que toda a humanidade já está redimida.
       A teologia de A Cabana não é incidental à história. De fato, em muitos pontos a narrativa serve, principalmente, como uma estrutura para os diálogos. E estes revelam uma teologia que, no melhor, é não-convencional e, sem dúvida, herética em certos aspectos.
       Embora o artifício literário de uma "trindade" não-convencional de pessoas divinas seja, em si mesmo, antibíblico e perigoso, as explicações teológicas são piores. "Papai" conta a Mack sobre o tempo em que as três pessoas da Trindade manifestaram-se da seguinte forma: "nós falamos com a humanidade através da existência humana como Filho de Deus". Em nenhuma passagem da Bíblia, o Pai ou o Espírito Santos é descrito como assumindo a forma humana. A cristologia do livro é confusa. "Papai" diz a Mack que, embora Jesus seja plenamente Deus, "ele nunca usou a sua natureza como Deus para fazer qualquer coisa". Eles apenas viveu do seu relacionamento comigo, da mesma maneira como eu desejo me relacionar com qualquer ser humano". Quando Jesus curou o cego, "Ele fez isso como um ser humano dependente que confiava em minha vida e poder para agir nele e por meio dele. Jesus, como ser humano, não tinha qualquer poder em si mesmo para curar alguém".
       Embora haja muita confusão teológica a ser esclarecida no livro, basta dizer que a igreja cristã tem lutado por séculos para chegar a um entendimento fiel da Trindade, a fim de evitar esse tipo de confusão – reconhecendo que a fé cristã está, ela mesma, em perigo.
       Jesus diz a Mack que ele é "o melhor caminho para qualquer ser humano se relacionar com Papai ou com Sarayu". Não é o único caminho, mas o melhorcaminho.
       Em outro capítulo, "Papai" corrige a teologia de Mack afirmando: "Eu não preciso punir as pessoas pelos seus pecados. O pecado é a sua própria punição, que devora você a partir do interior. Não tenho o propósito de punir o pecado; tenho alegria em curá-lo". Sem dúvida, a alegria de Deus está na expiação realizada pelo Filho. No entanto, a Bíblia revela consistentemente que Deus é o Juiz santo e reto, que punirá pecadores. A idéia de que o pecado é a "sua própria punição" se encaixa no conceito do karma, e não no evangelho cristão.
       O relacionamento do Pai com o Filho, revelado em textos como João 17, é rejeitado em favor de uma absoluta igualdade de autoridade entre as pessoas da Trindade. "Papai" explica que "não temos qualquer conceito de autoridade final entre nós, somente unidade". Em um dos mais bizarros parágrafos do livro, Jesus diz a Mack: "Papai é tão submisso a mim como o sou a ele, ou Sarayu a mim, ou Papai a ela. Submissão não diz respeito à autoridade e à obediência; é um relacionamento de amor e respeito. De fato, somos submissos a você da mesma maneira".
       Essa hipotética submissão da Trindade a um ser humano – ou a todos os seres humanos – é uma inovação teológica do tipo mais extremo e perigoso. A essência da idolatria é a auto-adoração, e essa noção da Trindade submissa (em algum sentido) à humanidade é indiscutivelmente idólatra.
       O aspecto mais controverso da mensagem de A Cabana gira em torno das questões do universalismo, da redenção universal e da reconciliação final. Jesus diz a Mack: "Aqueles que me amam procedem de todo sistema que existe. São budistas, mórmons, batistas, islamitas, democratas, republicanos e muitos que não votam ou não fazem parte de qualquer igreja ou de instituições religiosas". Jesus acrescenta: "Não tenho desejo de torná-los cristãos, mas quero unir-me a eles em sua transformação em filhos e filhas de meu Papai, em meus irmãos e irmãs, meus amados".
Em seguida, Mack faz a pergunta óbvia: Todos os caminhos levam a Cristo? Jesus responde: "Muitos dos caminhos não levam a lugar algum. O que isso significa é que eu irei a qualquer caminho para encontrar vocês".
Devido ao contexto, é impossível extrair conclusões essencialmente universalistas ou inclusivistas quanto ao significado de Yong. "Papai" repreende Mack dizendo que está agora reconciliado com todo o mundo. Mack replica: "Todo o mundo? Você quer dizer aqueles que crêem em você, não é?" "Papai responde: "Todo o mundo, Mack".
No todo, isso significa algo bem próximo da doutrina da reconciliação proposta por Karl Barth. E, embora Wayne Jacobson, o colaborador de Young, tenha lamentado haver pessoas que acusam o livro de ensinar a reconciliação final, ele reconhece que as primeiras edições do manuscrito foram influenciadas indevidamente pela "parcialidade, na época," de Young para com a reconciliação final – a crença de que a cruz e a ressurreição de Cristo realizaram a reconciliação unilateral de todos os pecadores (e de toda a criação) com Deus.
James B. DeYoung, do Western Theological Seminary, um erudito em Novo Testamento que conheceu Young por vários anos, documenta a aceitação de Young quanto a uma forma de "universalismo cristão". A Cabana, ele conclui, "descansa sobre o fundamento da reconciliação universal".
Apesar de que Wayne Jacobson e outros se queixam daqueles que identificam heresia em A Cabana, o fato é que a igreja cristã tem identificado, explicitamente, esses ensinos como heresia. A pergunta óbvia é esta: por que tantos cristãos evangélicos parecem ser atraídos não somente à história, mas também à teologia apresentada na narrativa – uma teologia que, em vários pontos, está em conflito com as convicções evangélicas?
Os observadores evangélicos não estão sozinhos em fazer essa pergunta. Escrevendo em The Chronicle of High Education (A Crônica da Educação Superior), o professor Timothy Beal, da Case Western University, argumentou que a popularidade de A Cabana sugere que os evangélicos devem estar mudando a sua teologia. Ele cita os "modelos metafóricos não-bíblicos de Deus" no livro, bem como seu modelo "não-hierárquico" da Tridade e, mais notavelmente, "sua teologia de salvação universal".
Beal afirma que nada dessa teologia faz parte das "principais correntes teológicas evangélicas" e explica: "De fato, essas três coisas estão arraigadas no discurso teológico acadêmico radical e liberal dos anos 1970 e 1980 – que influenciou profundamente os feministas contemporâneos e a teologia da libertação, mas que, até agora, teve muito pouco impacto nas imaginações teológicas de não-acadêmicos, especialmente dentro das principais correntes religiosas".
Em seguida, ele pergunta: "O que essas idéias teológicas progressistas estão fazendo no fenômeno da ficção evangélica?" Ele responde: "Desconhecidas para muitos de nós, elas têm estado presente em muitos segmentos liberais do pensamento evangélico durante décadas". Agora, ele diz, A Cabanaintroduziu e popularizou esses conceitos liberais até entre as principais denominações evangélicas.
Timothy Beal não pode ser rejeitado como um conservador e "caçador de heresias". Ele está admirado com o fato de que essas "idéias teológicas progressistas" estão "se introduzindo aos poucos na cultura popular por meio de A Cabana".
De modo semelhante, escrevendo em Books & Culture (Livros e Cultura), Katharine Jeffrey conclui que A Cabana "oferece uma teodicéia pós-moderna e pós-bíblica". Embora sua principal preocupação seja o lugar do livro "num panorama literário cristão", ela não pôde evitar o lidar com a sua mensagem teológica.
Ao avaliar o livro, deve-se ter em mente que A Cabana é uma obra de ficção. Contudo, é também um argumento teológico, e isso não pode ser negado. Diversos romances notáveis e obras de literatura contêm teologia aberrante e heresia. A pergunta crucial é se as doutrinas aberrantes são características da história ou são a mensagem da obra. Em A Cabana, o fato inquietante é que muitos leitores são atraídos à mensagem teológica do livro e não percebem como ela conflita com a Bíblia em muitos assuntos cruciais.
Tudo isso revela um fracasso desastroso do discernimento evangélico. Dificilmente não concluímos que o discernimento teológico é agora uma arte perdida entre os evangélicos – e esse erro pode levar tão-somente à catástrofe teológica.
A resposta não é banir A Cabana ou arrancá-lo das mãos dos leitores. Não precisamos temer livros – temos de estar prontos para responder-lhes. Necessitamos desesperadamente de uma redescoberta teológica que só pode vir de praticarmos o discernimento bíblico. Isso exigirá que identifiquemos os perigos doutrinários de A Cabana. Mas a nossa principal tarefa consiste em familiarizar novamente os evangélicos com os ensinos da Bíblia sobre esses assuntos e fomentar um rearmamento doutrinário de cristãos evangélicos.
A Cabana é um alerta para o cristianismo evangélico. Uma avaliação como a que Timothy Beal ofereceu é reveladora. A popularidade desse livro entre os evangélicos só pode ser explicada pela falta de conhecimento teológico básico entre nós – um fracasso em entender o evangelho de Cristo. A tragédia de que os evangélicos perderam a arte de discernimento bíblico se origina na desastrosa perda do conhecimento da Bíblia. O discernimento não pode sobreviver sem doutrina.

11 de mar de 2010

OBRAS PARA BÍBLIAS EM ALBANÊS - O AGIR DE DEUS ATRAVESSA FRONTEIRAS

INFORMATIVO A IMPRENSA - 

OBRAS PARA BÍBLIAS EM ALBANÊS - O AGIR DE DEUS ATRAVESSA FRONTEIRAS

Há exatamente uma semana ou mais o artista plástico Renato Amisy, decidiu que iria parar com a confecção de obras originais e exclusivas de JESUS SALVADOR, disse para si mesmo que as Bíblias que fez para Hebe Camargo e Nicolas Sarkozi seriam as últimas, afinal um projeto que seria para apenas 200 obras, já soma quase 2.000 e que seria tempo de parar. Destacamos aqui que todas foram feitas com recursos próprios e com apoio de um empresário de Barretos, colocadas no Livro Sagrado e entregues gratuitamente aos "sedentos" da PALAVRA. É meta deste empresário e do artista que as obras cheguem a todos os continentes, só que por motivos em que o "inimigo" age intensamente, a área financeira, Renato Amisy decidiu parar. Mas o que o artista não sabia é que quem comanda e determina a hora de parar é DEUS. E veio da Albânia um pedido que Renato Amisy confeccionasse obras para serem coladas ao Livro Sagrado para serem presenteadas às autoridades daquele país. Portanto, naquele mesmo dia o artista começou  a confeccionar uma nova série de JESUS SALVADOR, para atender ao pedido vindo de outro continente e também do empresário e amigo do artista em Barretos, que apesar de ser considerado "louco" pelos céticos que só confiam no poder de homens, tem feito muito mais dos que se dizem fiéis a DEUS, propagando a PALAVRA aos confins do Brasil e do mundo. São muitos que estão sendo abençoados com este Livro Sagrado, que tem na capa uma obra original de Renato Amisy, que ouviu este chamado quando soube que seu projeto junto a uma grande multinacional ligada às tradicionais palhas de aço na limpeza caseira. Ou seja, decepcionado com o engavetamento deste projeto de homens, ouviu em seu coração a voz de  DEUS que deveria fazer obras originais bancadas com seus recursos próprios e colá-las no Livro Sagrado e distribuísse gratuitamente aos que precisassem, para que a PALAVRA  fosse propagada aos confins da terra e deixasse que DEUS agisse através do conjunto da obra nas vidas de seus eleitos. Detalhe, muitos querem, mas nem todos estão tendo ainda, pois existem alguns impedimentos como à falta de mais recursos para a distribuição em massa, portanto, aqueles que estão sendo presenteados com esta OBRA estão sendo privilegiados. Mas é meta do artista depois deste tremendo agir de DEUS que continue este projeto que certamente superará quaisquer outros feitos por homens.

O artista aceita doações do LIVRO SAGRADO  para que a obra seja cada dia mais propagada pelos confins da terra, atualmente tem contato apenas com as ações do amigo “louco” por DEUS e que mesmo sendo impedido e cerceado de seus movimentos, tem feito junto com o Renato Amisy um trabalho de levar a PALAVRA aos que dela necessitam.  As doações de Bíblias podem ser feitas diretamente com o Artista, pelo telefone 17 8125 1706. É uma excelente opção de presente.
 
 
Anexo da foto da Obra JESUS SALVADOR feita exclusivamente para a Albânia.
 
Agindo DEUS, nada nos impedirá de proclamar seu Nome aos Povos,