ALBÂNIA onde há perseverança há esperança...

Para os Mulçumanos que buscam...

Para os Mulsumanos que buscam... IsaalMasih.net

18 de set de 2008

Um passeio pelas ruas...

18 de setembro de 2008

O casal missionário das igrejas batistas do Brasil, Pr. Henrique e Henriqueta Davanso, na Albânia desde 2006, plantou recentemente a primeira igreja batista de seu ministério no país. Reunidos com um grupo de aproximadamente 35 irmãos num pequeno imóvel no bairro Bathore, o mais pobre da cidade de Kamez, os obreiros da JMM comemoram e glorificam a Deus pela abertura da igreja mas enfrentam algumas dificuldades para consolidar o projeto.

A primeira barreira é a falta de infra-estrutura básica. A Albânia é o país mais pobre da Europa. Esteve sob o jugo do comunismo durante anos e mesmo após o fim do regime foi oprimido por ditaduras, fatos que contribuíram decisivamente para o isolamento do restante da Europa e o conseqüente empobrecimento do país. Somente há alguns anos a Albânia passou a demonstrar sinais de recuperação. E essa falta de estrutura tem atrapalhado a consolidação da Igreja Batista do bairro Bathore. “É comum faltar energia, água e outros serviços fundamentais por horas – algumas vezes por dias – no bairro, que tem 76 mil moradores. Muitas pessoas têm apenas um pão e verduras ou legumes para comer. Apesar disso, o povo é muito alegre e receptivo e temos conseguido desenvolver relacionamentos para apresentar-lhes a Palavra”, afirma o Pr. Davanso.

Fllanxa (à esq.) com a missionária Henriqueta Outra dificuldade é a penetração do islamismo na cultura da sociedade albanesa. Mesmo desfrutando de liberdade religiosa, que permite a livre pregação e o evangelismo, os missionários enfrentam costumes e tradições que têm impedido pessoas de viver uma vida livre com Cristo e dificultando a penetração da mensagem do Evangelho. É o caso da família de Maria. Ela é viúva e tem quatro filhos, sendo um deles a jovem Fllanxa de 16 anos. Segundo a tradição, quando a mulher atinge os 16 anos deve ser “apresentada” à sociedade com um passeio pelas ruas, de braços dados com os pais e ao lado dos irmãos, para que os homens interessados (nem sempre rapazes), geralmente muçulmanos, possam manifestar interesse de casar-se com a “prometida”. Sua mãe, a Maria, é convertida há 3 anos, freqüenta a nossa igreja e está angustiada, pois a família está pressionando para que entregue Fllanxa aos interessados. Cinco já apareceram, todos muçulmanos. Temos orado e orientado Fllanxa para que se case apenas quando apareça um pretendente cristão. Ela tem reafirmado sua posição ao lado de Jesus, mas Maria não aceita isso. Ela entende que a tradição albanesa deve ser respeitada, mas sofre com o conflito entre o que a família diz e a Palavra revela. Tanto que num estudo bíblico onde abordávamos que Jesus quebrou algumas das tradições judaicas que prendiam o povo ela foi às lágrimas. Assim como essa difícil questão cultural, temos muitas outras que têm prendido vidas e dificultado o crescimento do trabalho na Albânia. Por favor, orem por isso!”, diz o Pr. Henrique Davanso.

Mas nem tudo são dificuldades. A recém-inaugurada igreja, que realiza 5 cultos semanais, já conta com a presença de 35 adultos (a maioria mulheres), 35 crianças e alguns adolescentes. Na escolinha de futebol, que conta com aproximadamente 120 adolescentes, o Pr. Davanso tem ministrado estudos bíblicos e orado pelos alunos antes dos jogos e, segundo ele, esta é uma importante ferramenta de evangelismo, pois está conduzindo muitos ao conhecimento de Deus, e de testemunho junto aos albaneses. Além dessas boas novidades, os missionários informam que estão preparando 13 pessoas para o batismo. "Agradeçam a Deus conosco por estas conquistas e orem sempre por nós, para que sejamos o bom perfume do Senhor aqui na Albânia", encerra o casal missionário da JMM.

Nenhum comentário: