ALBÂNIA onde há perseverança há esperança...

Para os Mulçumanos que buscam...

Para os Mulsumanos que buscam... IsaalMasih.net

19 de nov de 2008

Sementes...


Dia destes estava andando pelas ruas do bairro onde trabalhamos, eram entre 3:30 e 4 da tarde, ja estava escuro devido o forte inverno...
Em meio a escuridão ouvi um passo desencadensoem minha direção..
Orei em silencio como sempre e fiquei a esperar...
...QUEM PODERIA SER...
Ao chegar mais perto pude ver um senhor já de idade, meio embriagado mas muito falante...
Deixei-o falar um pouco e após um normal cumprimento regado a muitas peguntas e alguns beijinhos no rosto (isso é a cultura por aqui.. rsrsr), comecei a perguntar-lhes sobre a vida etc..
Ele me disse repetidas vezes...
... Que alegria voce esta trazendo para nós aqui no bairro...
Muito obrigado por vir trazer as boas novas...
-------------------------------------------------------------------------
Alguns dias antes estavamos fazendo algumas vizitas enquanto distribuiamos folhinhas de calendário do ano 2009. a estava na casa dele mas ele nao estava e quando viu a folhinha com versos da bíblia quiz saber quem havia entregue....
------------------------------------------------------------------------------

Ele me convidou para novamente fazer-lhe uma vizita e estudar a bíblia...
Isso me alegrou muito o coração e tb a alma....

Que alegria saber que não ficaremos para sementes aqui nestes rincões..
Que alegria saber que a palavra por sí só trabalha por nós...
Que alegria saber que a paz do Senhor nunca nos abandona...
Que alegria saber que por mais que tentamos fazer algo...
... sempre é o Senhor quem faz por nós...
Minha oração é que estas cenas se repitam mais e mais vezes para onde quer que a palavra for pregada.. a tempo e a fora de tempo.

17 de nov de 2008

O campo de abacaxis

(Esta é uma história verídica.)

A história do campo de abacaxis aconteceu na Nova Guiné. Ela durou sete anos. É uma ilustração profunda de um princípio bíblico básico aplicado.

Ao ler este relato original, você descobrirá que ele é um exemplo clássico do tipo de lutas que cada um de nós enfrenta, até que aprenda a aplicar o princípio de renúncia aos direitos pessoais.

"Minha família e eu trabalhamos com pessoas bem no meio da selva. Um dia, resolvi levar para aquela região alguns abacaxis. O povo já tinha ouvido falar de abacaxis. Alguns já os haviam provado, mas não tinham meios de consegui-los.

Busquei, então, mais de cem mudas de uma outra missão. Contratei um homem da aldeia e ele plantou todas as mudas. Eu o paguei pelo serviço prestado (com sal e diversas outras coisas de que necessitava) e durante dias ele trabalhou. Precisei ter muita paciência até que as pequenas mudas de abacaxi se tornassem arbustos grandes e produzissem as frutas.

Demorou uns três anos. Lá, no meio da selva, você às vezes tem saudade de comer frutas. Não é fácil conseguir frutas e verduras frescas. Finalmente, no terceiro ano, pudemos ver surgir abacaxis que davam "água na boca", e só estávamos esperando o Natal chegar, porque é nesta época que eles ficam maduros.

No dia de Natal, minha esposa e eu saímos ansiosos para ver se algum abacaxi já estava pronto para ser tirado do pé, mas tivemos uma surpresa desagradável após a outra. Não conseguimos colher nem um só abacaxi. Os nativos haviam roubado todos! Eles os roubavam antes de ficarem maduros. É costume deles roubar as frutas antes que amadureçam e assim o dono não as possa colher.

E aqui estou eu, um missionário, ficando com raiva dessas pessoas. Missionários não devem ficar com raiva, vocês todos sabem disso, mas eu fiquei e disse a eles:

-Rapazes, eu esperei três anos por esses abacaxis. Não consegui colher um único deles. Agora outros estão amadurecendo e, se desaparecer mais um só destes abacaxis, fecharei a minha clínica.

Minha esposa dirigia a clínica. Ela dava gratuitamente todos os remédios àquela gente. Eles não pagavam nada! Nós estávamos nos desgastando tentando ajudá-los, cuidando de seus doentes e salvando as vidas de suas crianças.

Os abacaxis ficaram maduros e, um por um, foram todos roubados! Então achei que deveria me defender deles. Eu simplesmente não podia deixar que fizessem comigo o que queriam... Mas a verdadeira razão não era essa. Eu era uma pessoa muito egoísta que queria comer abacaxis. Fechei a clínica. As crianças começaram a adoecer porque a vida era bastante difícil naquela região. Vinham até nós pessoas com gripe, tossindo, pedindo remédio e nós dizíamos:

- Não! Lembrem-se que vocês roubaram nossos abacaxis".

- Não fui eu! - eles respondiam - foram os outros que fizeram isso.

E continuavam tossindo e pedindo. Não conseguimos manter mais a nossa posição; reabrimos a clínica. Abrimos a clínica e eles continuaram roubando nossos abacaxis. Fiquei novamente louco raiva e resolvi fechar o armazém. No armazém eles compravam fósforos, sal, anzóis, etc. Antes eles não tinham essas coisas, por isso não iriam morrer sem elas, pensei.

Comuniquei minha decisão:

- Vou fechar o armazém, vocês roubaram mais abacaxis.

Fechamos o armazém e eles começaram a resmungar:

- Vamos nos mudar daqui porque não temos mais sal. Se não há mais armazém, não há vantagem para ficarmos aqui com esse homem. Podemos voltar para nossas casas na selva -e se mudaram para a selva.

E ali estava eu, sentado, comendo abacaxis, mas sem pessoas na aldeia, sem ministério, sem condições de aprender a língua para traduzir a Bíblia para eles.

Falei com minha esposa:

- Podemos comer abacaxis nos Estados Unidos, se é só o que temos para fazer aqui.

Um dos nativos passou por ali, e eu lhe pedi para avisar que, na segunda-feira, abriria novamente o armazém. Pensei e pensei em como resolver o caso dos abacaxis...

- Meu Deus! Deve haver um jeito. O que posso fazer?

Chegou o tempo de minha licença e eu aproveitei para ir a um Curso Intensivo para Jovens. Lá ouvi que deveríamos entregar tudo a Deus.

A Bíblia diz que, se você der você terá; se quiser guardar para si, perderá tudo.

- Dê todas as suas coisas a Deus e Ele zelará para que você tenha o suficiente. Este é um princípio básico.

Pensei o seguinte: amigo, você não tem nada a perder. Vou entregar o caso dos abacaxis a Deus... Eu sabia que não seria fácil fazer esse sacrifício! Sacrificar significa entregar gratuitamente algo de que você gosta muito, mas eu decidi dar a plantação de abacaxis a Deus e ver o que Ele faria. Assim, saí para plantação, à noite, e orei:

- Pai, o Senhor está vendo estes pés de abacaxis? Eu lutei muito para colher alguns. Discuti com os nativos, exigi meus direitos. Fiz tudo errado, estou compreendendo agora. Reconheço o meu erro, e quero entregar tudo ao Senhor. De agora em diante, se o Senhor quiser me deixar comer algum abacaxi, eu aceito; caso contrário, tudo bem, não tem problema.

Assim, eu dei os abacaxis a Deus e os nativos continuaram roubando as frutas como de costume. Pensei com meus botões:

- Deus não pôde controlá-los.

Então, um dia, eles vieram falar comigo:

- Tu-uan (que significa estrangeiro) o senhor se tornou cristão, não é verdade?

Eu estava pronto para dizer:

- Escute aqui, eu sou cristão há vinte anos! - mas, em vez disso, eu perguntei:

- Por que vocês estão perguntando isso?

- Porque o senhor não fica mais com raiva quando roubamos seus abacaxis, eles responderam.

Isso me abriu os olhos. Eu finalmente estava vivendo o que estivera pregando a eles. Eu lhes tinha dito que amassem uns aos outros, que fossem gentis, mas sempre exigia os meus direitos e eles sabiam disso.

Depois de algum tempo alguém perguntou:

- Por que o senhor não fica mais com raiva?

- Eu passei a plantação adiante", respondi, ela não pertence mais a mim, por isso vocês não estão mais roubando os meus abacaxis e eu não tenho motivos para ficar com raiva.

Um deles, arriscando, perguntou:

- Para quem o senhor deu a plantação?"

Então eu disse:

- Dei a plantação para Deus".

- Para Deus? - exclamaram todos. Ele não tem abacaxis onde mora!?

- Eu não sei se ele tem ou não abacaxis onde mora, respondi. Eu simplesmente lhe dei os meus abacaxis.

Eles voltaram para a aldeia e disseram para todos:

- Vocês sabem de quem estamos roubando os abacaxis? Tu-uam os deu a Deus .

Começaram a pensar sobre o assunto e combinaram entre eles:

- Se os abacaxis são de Deus, agora não devemos mais roubá-los.

Eles tinham medo de Deus e os abacaxis novamente começaram a amadurecer.

Os nativos vieram para me avisar:

- Tu-uan, seus abacaxis estão maduros.

- Não são meus, eles pertencem a Deus - respondi.

- É melhor o senhor comer, pois senão eles vão apodrecer.

Então colhi alguns, e deixei também uns para os nativos. Quando me sentei à mesa com minha família para comê-los, eu orei:

- Senhor, estamos comendo Seus abacaxis, muito obrigado por me dar alguns.

Durante todos os anos em que estive com os nativos, eles estiveram me observando e prestando atenção às minhas palavras. Eles viam que as duas coisas não combinavam. E, quando eu comecei a mudar, eles também mudaram. Em pouco tempo, muitos se tornaram cristãos.

O princípio da entrega a Deus estava funcionando realmente. Eu quase não acreditei...

E mais tarde, passei a entregar outras coisas para Deus".

Fonte: Livro A Verdadeira Felicidade (estudo sobre As Bem Aventuranças) - Jaime Kemp - Editora Sepal.

13 de nov de 2008

Imagens da ALBANIA

Entre no link abaixo e veja algumas imagens da ALBANIA.
Muito bonitas por sinal.
http://www.euratlas.com/Atlas/albania/index.html

9 de out de 2008

COMO ENTENDER...


Como entender o que DEUS faz em todos os momentos de nossas vidas...
Como saber mais de DEUS através da vida que temos vivido diariamente em sua casa e obra...
Como saber qual direção a seguir, diante de tantas oportunidades e portas que se abrem...
Como saber qual a melhor maneira de angrandecer e viver somente para o Seu bem querer em nós...
... Uma coisa eu bem sei, nada melhor que servir em humildade e alegria a nosa torre forte, refugio e fortaleza, socorro bem presente..
Sei que por tí protegido sempre estarei, meu alto refugio...
Minha maior alegria... JESUS meu maior amor..
Confiar somente em tí é o que preciso para fazer somente o TEU QUERER EM MMINHA VIDA...
O meu coração tem saudades de tí e clama por ti o PAI DAS LUZES...
AMADO da minha alma.
Como é bom partilhar e saber que estas tão perto ..
Tu és tão lindo.. como diz a musica...
TEU PERFUME ME ATRAI..
COmo no sacrifício na CRUZ, sempre me atrai pra meis perto de tí....
Tenho alegria em te servir e viver para Tí...
Te amo Senhor...
Seja como for estarei sempre a te servir... e caminharmos sempre juntos...



1 de out de 2008

Como não ORAR pela Índia...

Século XXI, Índia, estado de Orissa, Asia, planeta TERRA, Galaxia universal planetaria terra...
Estes dias estive recebendo dezenas de a-mails relatando a perseguição contra os cristãos na Índia...
Infelismente é tudo verdade e fatos veridicos...
Oremos pelos nossos irmãos que estão sendo perseguidos, espancados, maltratados e mortos pelo fanatismo satanico que tenta nos amendrontar e clocarmos a beira de um caos que não vivemos. Smos filhos do PAI, cremos no único DEUS VIVE e VERDADEIRO que tudo fez, tudo formou....
Olhe, comente e ore, por favor... ore por nossos irmãos...
---------------------------------------------------------------------
------------------------------------------------
----------------------------
-----------
----
--
-

As fotos abaixo são bastante chocantes...

Queridos Filhos do Deus Vivo: Alguma religião permite uma coisa destas?

Isto não é puro terrorismo?

Ficarmos calados a respeito disto em nada ajudará - Cristãos, não vamos fazer retaliação - nós estamos dispostos a morrer como Mártires - mas, será que estas pessoas estão dispostas a olhar para Deus e justificar suas ações perante Ele?

Por favor, envie este e-mail para seus amigos, levantem a voz contra estas atrocidades cometidas em nome da religião.

Eu sou indiano e tenho orgulho de ser cristão.

Abaixo, algumas fotos chocantes de atrocidades cometidas em Orissa (Índia).

Recebemos informação de que centenas de casas de cristãos foram queimadas; muitos foram brutalmente assassinados e muitos estão escondidos, sem comida ou roupas. Muitos estão em abrigos.

Por favor, ore pelo nosso país e pelos que estão sofrendo.





























UM PEDIDO A TODOS OS CRISTÃOS - POR FAVOR ENCAMINHEM ESTE EMAIL PARA AMIGOS E FAMILIARES PARA QUE JUNTOS POSSAMOS ELEVAR NOSSAS VOZES AO CÉU...

O VHP planeja assassinar todos os cristãos no distritro de Puri em Orissa, Índia.

Vamos jejuar e orar a Jesus para que intervenha e proteja o seu povo !

21 de set de 2008

Lata dágua na cabeça...

Bathore, Albânia

Muitas famílias que já se mudaram para o subúrbio de Tirana, criaram habitações ilegais e entre muitos problemas que eles têm, é um importante um abastecimento de água. As mulheres e as crianças têm de andar quilómetros para chegar um pouco de água, que será usada para beber, lavar roupa e chuveiro. Normalmente eles usam wheelbarrows mas às vezes eles apenas transportar-lo em suas mãos.

Os últimos 17 anos Albânia tem vindo a sofrer escassez de água, muitas famílias têm água apenas 1 vez por dia, que rationizes quem toma banho quando, quando a roupa é para ser feito e assim por diante.

18 de set de 2008

Um passeio pelas ruas...

18 de setembro de 2008

O casal missionário das igrejas batistas do Brasil, Pr. Henrique e Henriqueta Davanso, na Albânia desde 2006, plantou recentemente a primeira igreja batista de seu ministério no país. Reunidos com um grupo de aproximadamente 35 irmãos num pequeno imóvel no bairro Bathore, o mais pobre da cidade de Kamez, os obreiros da JMM comemoram e glorificam a Deus pela abertura da igreja mas enfrentam algumas dificuldades para consolidar o projeto.

A primeira barreira é a falta de infra-estrutura básica. A Albânia é o país mais pobre da Europa. Esteve sob o jugo do comunismo durante anos e mesmo após o fim do regime foi oprimido por ditaduras, fatos que contribuíram decisivamente para o isolamento do restante da Europa e o conseqüente empobrecimento do país. Somente há alguns anos a Albânia passou a demonstrar sinais de recuperação. E essa falta de estrutura tem atrapalhado a consolidação da Igreja Batista do bairro Bathore. “É comum faltar energia, água e outros serviços fundamentais por horas – algumas vezes por dias – no bairro, que tem 76 mil moradores. Muitas pessoas têm apenas um pão e verduras ou legumes para comer. Apesar disso, o povo é muito alegre e receptivo e temos conseguido desenvolver relacionamentos para apresentar-lhes a Palavra”, afirma o Pr. Davanso.

Fllanxa (à esq.) com a missionária Henriqueta Outra dificuldade é a penetração do islamismo na cultura da sociedade albanesa. Mesmo desfrutando de liberdade religiosa, que permite a livre pregação e o evangelismo, os missionários enfrentam costumes e tradições que têm impedido pessoas de viver uma vida livre com Cristo e dificultando a penetração da mensagem do Evangelho. É o caso da família de Maria. Ela é viúva e tem quatro filhos, sendo um deles a jovem Fllanxa de 16 anos. Segundo a tradição, quando a mulher atinge os 16 anos deve ser “apresentada” à sociedade com um passeio pelas ruas, de braços dados com os pais e ao lado dos irmãos, para que os homens interessados (nem sempre rapazes), geralmente muçulmanos, possam manifestar interesse de casar-se com a “prometida”. Sua mãe, a Maria, é convertida há 3 anos, freqüenta a nossa igreja e está angustiada, pois a família está pressionando para que entregue Fllanxa aos interessados. Cinco já apareceram, todos muçulmanos. Temos orado e orientado Fllanxa para que se case apenas quando apareça um pretendente cristão. Ela tem reafirmado sua posição ao lado de Jesus, mas Maria não aceita isso. Ela entende que a tradição albanesa deve ser respeitada, mas sofre com o conflito entre o que a família diz e a Palavra revela. Tanto que num estudo bíblico onde abordávamos que Jesus quebrou algumas das tradições judaicas que prendiam o povo ela foi às lágrimas. Assim como essa difícil questão cultural, temos muitas outras que têm prendido vidas e dificultado o crescimento do trabalho na Albânia. Por favor, orem por isso!”, diz o Pr. Henrique Davanso.

Mas nem tudo são dificuldades. A recém-inaugurada igreja, que realiza 5 cultos semanais, já conta com a presença de 35 adultos (a maioria mulheres), 35 crianças e alguns adolescentes. Na escolinha de futebol, que conta com aproximadamente 120 adolescentes, o Pr. Davanso tem ministrado estudos bíblicos e orado pelos alunos antes dos jogos e, segundo ele, esta é uma importante ferramenta de evangelismo, pois está conduzindo muitos ao conhecimento de Deus, e de testemunho junto aos albaneses. Além dessas boas novidades, os missionários informam que estão preparando 13 pessoas para o batismo. "Agradeçam a Deus conosco por estas conquistas e orem sempre por nós, para que sejamos o bom perfume do Senhor aqui na Albânia", encerra o casal missionário da JMM.

17 de set de 2008

'Tome decisão'


Texto do Dr. Dráuzio Varella

Se não quiser adoecer - 'Tome decisão'

A pessoa indecisa permanece na dúvida, na ansiedade, na angústia. A
indecisão acumula problemas, preocupações, agressões. A história
humana é feita de decisões. Para decidir é preciso saber renunciar,
saber perder vantagem e valores para ganhar outros. As pessoas
indecisas são vítimas de doenças nervosas, gástricas e problemas de
pele.

Se não quiser adoecer - 'Busque soluções'

Pessoas negativas não enxergam soluções e aumentam os problemas.
Preferem a lamentação, a murmuração, o pessimismo. Melhor é acender o
fósforo que lamentar a escuridão. Pequena é a abelha, mas produz o que
de mais doce existe. Somos o que pensamos. O pensamento negativo gera
energia negativa que se transforma em doença.

Se não quiser adoecer - 'Não viva de aparências'

Quem esconde a realidade finge, faz pose, quer sempre dar a impressão
que está bem, quer mostrar-se perfeito, bonzinho etc. está acumulando
toneladas de peso ... uma estátua de bronze, mas com pés de barro.
Nada pior para a saúde que viver de aparências e fachadas. São pessoas
com muito verniz e pouca raiz. Seu destino é a farmácia, o hospital, a
dor.

Se não quiser adoecer - 'Aceite-se'

A rejeição de si próprio, a ausência de auto-estima, faz com que
sejamos algozes de nós mesmos. Ser eu mesmo é o núcleo de uma vida
saudável. Os que não se aceitam são invejosos, ciumentos, imitadores,
competitivos, destruidores. Aceitar-se, aceitar ser aceito, aceitar as
críticas, é sabedoria, bom senso e terapia.

Se não quiser adoecer - 'Confie'

Quem não confia, não se comunica, não se abre, não se relaciona, não
cria liames profundos, não sabe fazer amizades verdadeiras. Sem
confiança, não há relacionamento. A desconfiança é falta de fé em si,
nos outros e em Deus.

Se não quiser adoecer - 'Não viva sempre triste'

O bom humor, a risada, o lazer, a alegria, recuperam a saúde e trazem
vida longa. A pessoa alegre tem o dom de alegrar o ambiente em que
vive. 'O bom humor nos salva das mãos do doutor'. Alegria é saúde e
Terapia

TEXTO DE: http://www.lidere.com.br/pDevocional.asp?pNOTnID=268

17 de ago de 2008

Como não agradecer...



Como não agradecer ao Pai e criador, autor da vida... e que vida alegre.
Quando nos encontrarmos com a sua glória e majestade.
HAAAAhhh, que doce e alegre paz, poder servir e viver juntinho contigo PAI das luzes
SENHOR a quem devemos honra e gloria... AMEM.
Louvado seja Deus por um dia podermos conhece-lo de tão perto.
Outrora o víamos como por um espelho, meio que embasado...
Agora o conhecemos em poder estarmos juntos, perto, comendo e bebendo do melhor dessa terra...
ALELUIA, Louvado seja DEUS, VIVER somente para o PAI...
A vida se enche, transborda, faz a gente viver como em um eterno e sempre presente gozo celestial.

Te amo oh PAI.

Por um dia poder ter te conhecido.

Te amo Senhor e Rei meu...

2 de ago de 2008

Uma simples criança...

Hoje 01-08-2008, tivemos o nosso costumeiro porém vivo culto de oração na graciosa Igreja em Bathore...
Quantas surpresas agradáveis e para nós que estamos presenciando o nascer de mais uma Igreja, porém em contexto não alcançado dentro da janela 10x40... a Albânia, são experiências indescritíveis e muito emocionantes... somente estando aqui para se ter a noção do tamanho e gracioso amor do Pai para conosco.
Dia a dia estamos vivenciando a palavra de DEUS, a bíblia, sendo plantada nos corações de todos os que estão se achegando a Cristo.
Nesta reunião de oração, haviam 21 pessoas entre mães e algumas crianças, todos oramos um após o outro, depois foram as crianças...
Uma delas orou pela família, pelos pais etc etc etc...
Entre uma criança e outra, uma me chamou a atenção, ela tem entre 4 e 5 aninhos de idade, tem um irmão e uma irmã e mora com os seus pais e uma avó em um cômodo apertadinho, porém muito agradável. Ela orou por nós como missionários em terras distantes , agradecendo ao Pai por Ele ter nos enviado até eles, assim eles puderam sair da escuridão e conhecer a luz de Jesus!!!
Confesso que, ao ver-la de joelhos e mãozinhas colocadas abaixo do queixo, orando com uma voz bem de criança como é...

NÃO TEM PREÇO NO MUNDO QUE PAGUE ESTA CENA!!!!

Agora o que mais quero e faço... é agradecer a Deus e a você que de uma forma ou de outra, tem nos ajudado, seja em orações, manutenção ou palavras de apoio....
Saiba, que o trabalho do Senhor, feito no tempo e para o Senhor... têm a graça do Senhor...
Muito obrigado... Senhor, por todos os benefícios que nos tem feito....

TE AGRADECEMOS PELO PRIVILEGIO DE ESTARMOS AQUI....

Te amamos PAI....
pra sempre...

23 de jul de 2008

Rixas familiares destroem estruturas sociais na Albânia

Kanun, (HAKIMARIA) código familiar que vale há 500 anos, prega que 'sangue deve ser pago com sangue'.
Desde o fim do comunismo em 1991, 9.500 pessoas foram mortas em brigas de famílias.
DAN BILEFSKY Do New York Times, em Shkoder, Albânia entre em contato
ALTERA O
TAMANHO DA LETRA

Christian Luli, um rapaz de 17 anos de voz tranqüila, passou os últimos dez anos preso dentro da pequena casa de sua família, que tem medo de que ele seja morto a tiros se sair da porta de casa.


Para passar o tempo, ele joga videogame e desenha projetos de casas. Como não pode freqüentar a escola, o nível de leitura de Christian é o de um garoto de 12 anos. Uma namorada está fora de cogitação. Ele queria ser arquiteto, mas tem muito medo de que seu futuro seja permanecer trancado em casa, olhando para as mesmas quatro paredes.


“Essa é a situação da minha vida. Não conheci nada além disso desde que era garoto”, diz Christian, olhando através da janela para um mundo proibido lá fora. “Sonho com a liberdade, com poder ir à escola. Se não tivesse tanto medo, poderia sair de casa. Viver assim é pior do que uma pena de prisão."

Foto: Johan Spanner/The New York Times
Christian Luli (à dir.) em casa com sua família na cidade albanesa de Shkoder em 13 de junho. (Foto: Johan Spanner/The New York Times)

A desgraça de Christian é ser filho de um pai que matou um homem nessa pobre região no norte da Albânia, onde o antigo ritual de disputas sangrentas entre famílias ainda persiste.

De acordo com o Kanun, código de conduta da Albânia transmitido de geração a geração por mais de 500 anos, “sangue deve ser pago com sangue”, sendo a família da uma vítima autorizada a se vingar de um assassinato matando qualquer um dos parentes homens do assassino. A influência do Kanun está em declínio, mas, durante séculos, funcionou como a constituição do país, com regras orientando várias aspectos, como direito de propriedade, matrimônio e assassinato.

O Comitê Nacional de Reconciliação, uma organização sem fins lucrativos da Albânia que trabalha para acabar com as rixas familiares, estima que 20 mil pessoas estiveram envolvidas em lutas entre famílias desde que elas ressurgiram, após o colapso do comunismo em 1991, com 9.500 mortos e quase mil crianças impedidas de freqüentar a escola por estarem trancadas dentro de casa.

Por tradição, qualquer rapaz jovem o suficiente para manusear um rifle de caça é considerado um alvo para a vingança, deixando vulneráveis 17 homens da família de Christian. Também eles estão trancados em casa. A única restrição é que os limites da casa de família não sejam ultrapassados. Mulheres e crianças têm imunidade, apesar de que alguns, como Christian, que amadureceram fisicamente mais cedo, começam seu confinamento enquanto garotos. Membros da família da vítima são geralmente os vingadores, apesar de que algumas famílias terceirizam o assassinato para matadores de aluguel.

Lutas sangrentas entre famílias têm dominado outras sociedades, como as vinganças da máfia no sul da Itália e a violência retaliatória entre famílias xiitas e sunitas no Iraque.

Mas o fenômeno tem sido particularmente notável na Albânia, um país extremamente pobre que está lutando para adotar as regras da lei após décadas de ditadura stalinista.

Enterrados vivos

Essas lutas familiares quase desapareceram aqui durante o governo de 40 anos de Enver Hoxha, ditador comunista albanês, que declarou a prática ilegal, às vezes enterrando vivo quem não obedecia, nos próprios caixões das vítimas. Mas especialistas jurídicos na Albânia afirmam que as brigas que explodiram novamente após a queda do comunismo levaram a um novo período de anarquia e desrespeito às leis.

Quase mil homens envolvidos em lutas familiares fugiram para o exterior, alguns deles solicitando asilo. Mesmo assim, dezenas de pessoas foram perseguidas fora do país e mortas por vingança.

Ismet Elezi, professor de direito criminal da Universidade de Tirana, que aconselha o governo e a polícia sobre como enfrentar esse problema, disse que mudanças recentes no código penal da Albânia – incluindo penas de 25 anos na prisão para quem comete homicídio por rixa familiar e penalidades rígidas para aqueles que ameaçam retaliar – ajudaram a diminuir essa prática. Porém, ele observou que alguns ainda acreditam mais no Kanun do que no sistema judiciário, muitas vezes com conseqüências sociais devastadoras.

“A geração mais nova não acredita mais nos códigos de conduta da antiga geração”, ele disse. “Mas rixas familiares ainda causam sofrimento porque os homens presos dentro de suas próprias casas não podem trabalhar, as crianças não podem ir à escola, e famílias inteiras são privadas do mundo exterior.”

Alexander Kola, mediador que trabalha para resolver lutas entre famílias, disse que o caso mais comum são disputas em relação a propriedades e terra. Ele observou que as rixas também podem surgir de afrontas aparentemente sem importância. Há um caso recente no qual doze homens foram forçados a ficar trancados em casa depois que um homem da família matou um comerciante que se negou a vender um sorvete ao filho dele. Em outro caso, uma briga explodiu quando uma ovelha pastou na terra de um vizinho, causando uma luta mortal.

Sociólogos daqui disseram que as brigas inverteram papéis tradicionais de gêneros na Albânia rural, já que as mulheres se tornaram as principais provedoras da família, enquanto os homens foram forçados a ficar em casa e fazer o trabalho doméstico.

A mãe de Christian, Vitoria, de 37 anos, conta que mandou o rapaz ficar dentro de casa quando ele fez sete anos, depois que seu marido e seu irmão mataram um homem na vila por causa de uma briga de bar. Ela disse que seu outro filho, Klingsman, sete anos, freqüentava a escola, mas logo seria forçado a se juntar ao irmão na vida de confinamento doméstico. Seu marido e seu cunhado estão na prisão, cumprindo pena de 20 anos por assassinato.

“Eu vivo com uma ansiedade e um medo constantes de que Christian seja morto, de que eles estejam à caça do meu filho”, diz Luli, que depende de caridade para se manter, com seus dois meninos e duas meninas. “Espero que alguém da outra família mate alguém da nossa família, assim esse pesadelo finalmente vai acabar.”

Mediação

Ela conta ter enviado um mediador para tentar obter o perdão por parte da outra família, sem êxito.

A família da vítima, Simon Vuka, se recusou a comentar. Mas Kola, que está intermediando o caso, disse que a família não estava preparada para perdoar a rixa porque a vítima tinha dois filhos pequenos que ficaram órfãos de pai. “Muitas famílias de vítimas acham que aprisionar todos os homens da família do assassino em suas próprias casas é uma vingança melhor do que matá-los.”

Kola, ex-instrutor de ginástica olímpica que estudou resolução de conflitos na Noruega, afirmou ter tentado reconciliar rixas ao identificar amigos ou parentes influentes da vítima que poderiam implorar à família para perdoar e esquecer. Ele disse que o pedido de perdão geralmente era acompanhado por uma oferta de moedas de ouro ou outros presentes por parte da família do assassino. “Eu digo às famílias das vítimas que o perdão é mais importante que a vingança”, contou.

Christian, com uma maturidade maior que sua idade, disse que culpa o pai dele, seu tio e um código de conduta obsoleto por destruir sua vida. Ele acha injusto estar sendo punido pelos crimes cometidos por parentes.

Seu único contato com o mundo exterior acontece uma vez por mês, quando um grupo de freiras que fazem trabalho de caridade na comunidade forma um círculo de proteção ao redor dele e o leva em uma viagem de carro de 30 minutos para um centro comunitário próximo. Ele conta que sonha escapar da Albânia, mas sua família é muito pobre para mandá-lo para o exterior. Ele poderia se armar e fugir, mas teme que os riscos sejam mortais.

“O Kanun é cheio de regras idiotas”, “É completamente injusto e sem sentido.”

Velhos desamparados

Brigas entre famílias afetaram os jovem, assim como os membros mais velhos da população da Albânia; alguns deles ficam sem cuidados médicos adequados porque não podem sair de suas casas.

Sherif Kurtaj, de 62 anos, foi forçado a viver com um tumor nas costas não tratado e um dente podre porque ficou trancado em sua casa durante os últimos oito anos, desde que seus dois filhos mataram um vizinho que ridicularizou os planos dos rapazes de migrar para a Alemanha. Ele contou que precisava de uma cirurgia que salvaria sua vida, mas temia que, se fosse ao hospital, seria morto a balas por vingança.

Indisponivel
albania 2

Kurtaj disse que seus dois filhos, cada um condenado a 16 anos de prisão, estão foragidos desde o assassinato. Mesmo que eles se entreguem, lamentou, ainda assim seria obrigado a permanecer trancado em casa.

Ele conta que seus amigos tinham muito medo de visitá-lo, preocupados em serem acidentalmente baleados. Kurtaj disse que a rixa o tornou totalmente dependente da esposa. “Sou um homem do Kanun e fui criado para ser o homem da casa. Mas hoje minha mulher é tudo para mim.”

Kurtaj poderia apresentar uma queixa, de acordo com as leis do país, contra a família da vítima por tê-lo ameaçado de morte; esse delito implica uma pena de até três anos de prisão. Mas Kurtaj contou ter medo de que isso só traga represálias.

“O Kanun tem que ser obedecido”, disse. “O sangue precisa ser vingado.”

12 de jul de 2008

Qual é a sua...




O Senhor nos chama para nos usar com o seu poder, poucos são aqueles que têm entendido. Infelizmente muitos não conseguem ver ou ouvir a este chamado.

Quero fazer uma pequena reflexão com você em três versículos, aonde vai nos ajudar a ver que cada um de nos temos um chamado especifico.


  1. Gênesis 12: 1- 3 Deus chama a Abraão para esta na linha de frente, podemos ver no versículos V.3 B onde o Senhor chama atenção de Abraão e diz; em ti serão bendita todas as famílias da terra. Creio que o que Deis quis dizer foi o seguinte, Abraão a responsabilidade de fazer missões é sua, não espere que alguém levante para ir, levante você primeiro e vá. Não espere que alguém levante para contribuir, contribua você primeiro. não espere que alguém levante para interceder, levante você primeiro e interceda.

  1. Apocalipse 2:1-5 Deus fala da igreja de Éfeso e das suas muitas qualidades. Era uma igreja de boas obras, perseverava nos seus propósitos, odiava o mal, trabalhava intensamente pela causa do Senhor, não permitia o mau testemunho dos seus lideres. Mais o Senhor tinha uma coisa contra eles. Podemos ver o que era de tão mal que eles tinham feito. 2 Timóteo 1:15 Paulo fala que a igreja de Éfeso tinha o abandonado. Ai esta o quanto Deus se importa com o bem estar daqueles que estão na linha de frente. E também mostra que contribuir é um chamado não é só uma opção.

  1. Josué 3:1-17 Deus mostra a Josué como o povo deveria fazer para passar pelo rio Jordão. Mais que chamar a sua atenção para os versículos V.12,13,17 onde mostra que os sacerdotes pisaram na água para que se abri cem e no verso 17 diz que os sacerdotes pararam firmes no meio do Jordão para o povo passar. Isto representa queridos irmãos que é preciso ter pessoas na retaguarda, intercedendo. Interceder é uma responsabilidade de cada um de nos tanto daqueles que vão quanto daqueles que ficam na igreja.

Conclusão: Não sei qual o seu chamado, se é para ir, para contribuir, ou para interceder. Sei de uma coisa, verdadeiramente você é escolhido por Deus.

Você ta disposto (a) a obedecer a este chamado? Antes de qualquer resposta saiba que as nações clamam. Deus conta com você, indo, contribuindo, e intercedendo.

COMPROMISSO



Cetra vez ouvi um amigo empresário falar sobre alguns compromissios financeiros que teria que cobrir em uma determinada data. Ele parecia muito atarefado e preocupado em cumprir e honrar o seu compromisso, senão estaraia em uma lista vermelha e não poderia mias comprar daquele fornecedor de produtos...

_ Penso como seria se realmente cumprissemos os nossos compormissos com o nosso Senhor.
Como seria a história da igreja no Brasil e no mundo...
Como tem sido o nosso comportamento com o nosso Senhor diante dos compromissos honrados e daqueles não honrados...
_ Será que estamos realmente preocupados com nossas promessas perante JESUS.
Estamos quase que diariamente adorando-O e nos comprometendo com o Pai, porém, nem sempre cumprindo com os propósitos dos mesmos.
Que bom seria adorar ao Senhor com as mãos limpas, desprendido de tudo, somente agarrados no mestre da vida e autor da nossa felicidade. Ficar sempre no melhor lugar do mundo...
Encontraremos a real adoração e a santificação quando honrarmos nossas vidas dignas a Deus.
Poderemos adentrar diante do seu altar sem preocupações ou medo do passado. Assumiremos uma postura de real valor e humildade diante do PAI, pois cumprindo com os nossos atos e palavras, poderemos alcançar a verdadeira adoração, povos, tribos e linguas e nações...
Não somente em palavras, mas em Espírito e Verdade. E a verdade é a palavra em todo o tempo, sem meios termos ou negociações infundadas do tipo, me faça isso que eu te faço aquilo.
A GRAÇA do Senhor, nos faz mergulhar mais fundo, alem do nosso suportar humano, alem do impossivel, alem das fronteiras humanamente conhecidas, nos faz alcançar novas aguas e novos tipos de peixes... Alcançar o não alcançado, levar o alimento em terras desconhecidas hinóspitas.
Cumprir o que um dia falamos em lagrimas ao PAI.. Senhor EIS ME AQUI...
Este é o maior compromisso que devemos cumprir.

Zotë të Bekoftë, Deus te abençõe!

Em Crsito e no amor de sua CRUZ...

Pr Henriqu Davanso
Pr e Missionário na ALBANIA.

6 de jul de 2008

O Prazer de Dar



Por Robert J. Tamasy

Por alguma razão os “reality shows” conquistaram a programação televisiva. Em lugar de apresentações com roteiro ensaiado, as redes de TV cada vez mais buscam dramas e competições da vida real para preencher sua programação. Sem avaliar os prós e contras dessa tendência, o que tem atraído o meu interesse é a ênfase em dar e ajudar os menos favorecidos e que é o foco de diversos programas populares.

Um deles apresenta semanalmente um projeto para construção de uma casa para família necessitada. Um outro desafia homens e mulheres a desenvolverem estratégias para as necessidades de causas que valham a pena e ambos apresentam famílias e indivíduos oprimidos. Ao ouvir a variedade de histórias de infortúnio, sentimos nossa sensibilidade levada ao máximo. Por que será que sentimos alegria diante do esforço para tirar pessoas necessitadas de situações desesperadoras?

Creio que seja pelo fato de todos nós, no íntimo, termos necessidade de dar, de servir outras pessoas, numa tentativa de exercer impacto positivo em outras vidas, através de uma forma tangível de dar. Pode também envolver a dádiva de sabedoria ou conhecimento, com conselhos, encorajamento ou informação. Pode ainda, se dar pelo investimento de tempo para mentorear os mais jovens e menos experientes, como tenho feito há anos. Mas a pergunta permanece: Qual a razão do prazer de dar?

A Bíblia diz que somos criação de Deus. Compartilhamos traços de Sua personalidade e de Suas características. Uma delas é a generosidade, o desejo de dar em favor de outros. Um versículo muito conhecido afirma: “Deus tanto amou o mundo, que deu o Seu Filho Unigênito (Jesus), para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna” (João 3.16).

A natureza generosa de Deus está expressa em outras passagens das Escrituras. Mateus 7.7-11 afirma: “Peçam, e lhes será dado; busquem, e encontrarão; batam, e a porta lhes será aberta. Pois, todo o que pede, recebe; o que busca, encontra; e àquele que bate, a porta será aberta. Qual de vocês, se seu filho pedir pão, lhe dará uma pedra? Ou se pedir peixe, lhe dará uma cobra? Se vocês, apesar de serem maus, sabem dar boas coisas aos seus filhos, quanto mais o Pai de vocês, que está nos céus, dará coisas boas aos que Lhe pedirem!”

Em conversa com Seus seguidores Jesus enfatizou:“Vocês receberam de graça; dêem também de graça” (Mateus 10.8). Ele também chamou atenção para a responsabilidade do beneficiário: “A quem muito foi dado, muito será exigido; e a quem muito foi confiado, muito mais será pedido” (Lucas 12.48).

Todos lutamos contra o egocentrismo, tendência para o egoísmo crônico. Mas por sermos criados à imagem de Deus, deixamos de concentrar tempo bastante em nós mesmos, para podermos auxiliar outras pessoas.

O que será que podemos fazer hoje no trabalho, em casa ou em nossa comunidade, para dar em benefício de outros?


Texto de Robert J. Tamasy, vice-presidente de comunicações da Leaders Legacy, corporação beneficente com sede em Atlanta. Georgia, USA. Com mais de 30 anos de trabalho como jornalista, é co-autor e editor de nove livros.Tradução de Mércia Padovani. Revisão e adaptação de J. Sergio Fortes (fortes@cbmc.org.com)


MANÁ DA SEGUNDA® é uma refelxão semanal do CBMC - Conecting Business and Marketplace to Christ, organização mundial, sem fins lucrativos e vínculo religioso, fundada em 1930, com o propósito de compartilhar o Evangelho de Jesus Cristo com a comunidade profissional e empresarial. © 2008 - DIREITOS RESERVADOS PARA CBMC BRASIL - E-mail: liong@cbmc.org.br -Desejável distribuição gratuita na íntegra. Reprodução requer prévia autorização. Disponível também em alemão, espanhol, francês, inglês, italiano e japonês.

14 de jun de 2008

Um dia diferente...



Hoje cedo fizemos um passeio com as crianças de nossa Igreja.
Levamo-as para um parque florestal na cidade de Tirana.
Interessante vermos como tão pouco pode fazer essas crianças sorrirem, terem um dia especial e muito diferente dos outros no local onde vivem.
Muitas delas saíram do bairro pela primeira vez, nunca tinham ido 'a capital que fica a 10 km de suas casas.
Uma mistura de emoção, alegria e prazer em descobrir o "novo e desconhecido"...
No "parque" correram, brincaram, comeram e se divertiram a vontade. E também louvaram ao mestre JESUS pelas suas vidas e pela ocasião em estarem ali.
Sabemos que isto pode ser corriqueiro (sair para passear num local simples), mas para a realidade de vida dos pequeninos que vivem ali no bairro , é uma oportunidade dada por Deus para poderem sair um pouco do local onde nasceram e vivem todos os dias.

11 de jun de 2008

Abrindo o coração...



Entrai pelas portas dele com gratidão, e em seus átrios com louvor; louvai-o, e bendizei o seu nome. (Sl :100:4)

Querido amigo e irmão leitor, Graça e Paz.

Não posso deixar de me alegrar juntamente convosco nesse momento tão alegre de nossas vidas e ministério, juntos nessa animada e não fácil caminhada por estes rincões balcânicos do leste europeu.

Estamos procurando e fazendo discipulados com os novos convertidos. Já estamos crescendo tanto em numero como em sabedoria no Senhor, não tão rápido como no Brasil, (por enquanto eu creio...) cremos que em breve haverá os primeiros batísmos.

Sempre publicaremoso em nosso bllog ( http://projetoalbania.blogspot.com/ ) algo marcante que tenha ocorrido conosco por aqui, assim, você (leitor amigo) e nossos amados mantenedores estarão sempre por dentro de tudo o que se passa por aqui.
O local onde estamos plantando a nossa Primeira Igreja como sabem, é o local mais pobre de toda Albânia, e agora descobrimos que também o mais violento... Existem casas boas de Albaneses que moram em outros países trabalhando e investem por aqui, mas em sua maioria são casas muito humildes e tradicionais albanêsas mesmo, existe também um antigo estábulo onde na época do comunismo se criavam gado, eles o transformaram em suas residências, com quartos pequenos, minúsculos, sem esgoto, etc etc... A Alimentação geralmente é feita uma ou duas vezes ao dia, a base de pão, pepino e tomate.

Agora por aqui (em Bathore) começou o toque de recolher em todo bairro, devido a alguns distúrbios que estavam acontecendo, 'as 10 horas da noite todos têm que estar dentro de suas casas.

Estamos melhorando bem no aprendizado da língua e agora aprendendo o dialeto "Tosk", língua falada ao norte do país, pois são eles que residem no bairro.

Nosso maior prazer e alegria, é estarmos onde o Senhor nos quer que estejamos, fazendo somente e unicamente a sua vontade, sem se preocupar com o que ficou para traz.

A alegria de servir ao Pai é indescritível, imensurável aos nossos olhos e palavras, afinal não tenho palavras para descrever o que sentimos em nossas almas. "Creio que uma mistura de gozo e alegria celestial", somente o Senhor pode produzir isso em meio a tudo o que podemos ver, ouvir e sentir...

A escolinha de futebol esta de vento em polpa, cada dia ficando com mais alunos e graças a Deus temos falado do amor do Pai a cada um. Estaremos iniciando a reunião de adolescentes neste mês e crêmos que em breve estaremos com os nossos Embaixadores e Mensageiras do REI... aleluias.

Amado amigo, nosso desejo é fazer e doar o nosso melhor e melhores anos ao Senhor onde Ele quiser, contamos sempre com suas preciosas orações a nosso favor.

Em Cristo e no amor de sua Cruz..

A quem servimos e amamos com alegria e prazer..

Pr Henrique Davanso, Henriqueta e Emanuelle.

A seu dispor.


9 de jun de 2008

Um cafezinho faz muita diferença...




Hoje foi um dia muito especial para a nossa recem iniciada Igreja...
Começamos a cultuar também aos domingos. Isso pode soar não muito bem aos cristãos brasileiros... Cultuar aos domingos!!!
Sim, em um campo não alcançado onde se tem poucas Igrejas por todo o país cultuar aos domingos nem sempre é possível por vários fatores.

Bom e o cafezinho...
Hoje vieram pela primeira vez dois homens. Uma alegria imensa ao vê-los juntos com suas esposas... Deus é Real mesmo...
Após meses de orações para que eles viessem na Igreja... ali estavam os dois primeiros de milhares que virão, em nome de Jesus.
Após o culto, convidei-me para tomar um cafezinho com eles em suas casas...
Prontamente aceitaram em receber-me, e assim o fiz.
Algumas horas após o culto dirigi-me até suas casas.
Suas casas são em geral de apenas um quarto onde tudo é ali mesmo, sala , cozinha, quarto etc.
Antes de entrar tirei os sapatos(tênis), e coloquei-os dentro do local para evitar de desaparecer subitamente (rsrsrsr).
Começamos a prosear nos cumprimentando... geralmente os cumprimentos na Abânia, demoram de 3 a 5 minutos sempre e todas as vezes que nos encontramos, se uma vez ao dia, assim se faz.. se duas ou dez vezes ao dia, sempre é assim...
Depois o senhor a quem visitavacomeçou a me explicar detalhe por detalhe toda a pregação que tinha feito na manhã... detalhes e mais detalhes... Ao final ele me disse:

“Sabe Pastor, a bíblia realmente tem razão”...
ela é a verdade... (isso em um contexto muçulmano)
Muito me alegrei e creio que mais ainda o nosso Senhor e salvador JESUS!!!
Não me pergunte se gosto de café... No Brasil tomava uma xicarazinha vez ou outra durante o ano inteiro..
Agora... estou aprendendo a tomar café turco...

Abraços